As torres e Picarte Canelos

As torres e Picarte Canelos

informações de As torres e Picarte Canelos


As torres Picarte O Canelos e são os únicos que permanecem no fundo das fortificações de Valdivia. A cidade, fundada em 1552 por Pedro de Valdivia, foi arrasada pela revolta indígena ocorreu no final do século XVI. Durante o século XVII, o Vice-Rei Antonio de Toledo, do Peru, enviou um exército equipado com um contingente de 900 homens, lojas e uma grande quantidade de materiais de construção, para atender a dois objetivos: para recriar a cidade de Valdivia e estabelecer fortificações na área, particularmente na foz do rio do mesmo nome. Estas metas foram uma prioridade para a Coroa espanhola, sob a natureza estratégica do lugar. Era necessário para manter a soberania imperial bem defendido esta zona costeira exposto às ambições de potências rivais (Inglaterra, Holanda, França), que já tinha interessado por isto através de várias expedições.

A gestão do vice-rei Toledo levou a maior fortaleza da costa do Pacífico norte-americano, formado por um grupo de fortificações entre os quais incluem os fortes de Corral e Niebla, o Castelo de San Luis de Alba e San Pedro Amargos de, entre outros. Com relação ao Valdivia, além de remodelar a cidade, o exército foi enviado pelo vice-rei começou a fortificar-lo tão bem, dando a ele cansa e defesas fundamento de que mais tarde seriam substituídos por muros de pedra. É, contudo, no século XVIII, quando o plano de defesa de Valdivia chega a plena aplicação, no âmbito de um plano abrangente desenvolvido pelo engenheiro John Garland. Uma parte importante deste plano era a construção de duas torres, o governador da praça Joaquim Espinoza executado em 1774 sob a ameaça representada pelas rivais europeus não tanto como os nativos do lugar.

As torres Picarte e Los Canelos (anteriormente chamado de "lama") são de forma cilíndrica e foram construídas com tijolos e argamassa, as paredes têm uma espessura de 60 cm na sua base e 30 centímetros no topo. As estruturas foram concebidas para servir como um mirante ou vigias, no entanto, eles também são utilizados como masmorras, pólvora e moinhos de vento. A construção destas defesas foi muito frustrante para Espinoza, que foi questionada pela alegada inutilidade dessas estruturas.

Este site usa cookies para obter dados estatísticos sobre a navegação de seus usuários. Se você continuar navegando, consideramos que você aceita seu uso. Mais informações em Políticas de privacidade